domingo, 15 de agosto de 2010

QUANDO A VIDA CRISTÃ SE TORNA UM INFERNO

por
Raniere Menezes

Por que, pois, se queixa o homem vivente? Queixe-se cada um dos seus próprios pecados. Lm 3:39
Se você transformar a sua vida num inferno, não se queixe de Deus. O verdadeiro crente, apesar de não poder cair totalmente e apostatar finalmente, pode cair em graves pecados e, por um certo tempo, continuar neles. A vida cristã tem muitos inimigos, podemos resumi-los dessa forma: as tentações do mundo, as corrupções que restam em nossa natureza e as seduções de Satanás. Enfim, o mundo, a carne e o diabo.

Contudo, o pior inimigo que pode transformar a sua vida num mundo de destruição e miséria, é a NEGLIGÊNCIA dos meios da graça. Quando um cristão menospreza os meios de preservação (leitura da Bíblia, meditação, oração, louvor, comunhão, culto e ceia do Senhor), rapidamente o Espírito Santo se entristece. Deus assim ofendido (por negligência) não fica parado sem fazer nada. Sua providência paternal sempre age, no mínimo retira Seus favores. Conseqüentemente o coração endurece.
A Seção III da Confissão de Westminster no capítulo XVII, Da Perseverança dos Santos, afirma: Eles [os crentes], porém, pelas tentações de Satanás e do mundo, pela força da corrupção neles restante e pela negligência dos meios de preservação, podem cair em graves pecados e por algum tempo continuar neles; incorrem assim no desagrado de Deus, entristecem o seu Santo Espírito e de algum modo vêm a ser privados das suas graças e confortos; têm os seus corações endurecidos e as suas consciências feridas; prejudicam e escandalizam os outros e atraem sobre si juízos temporais. Ref. Sal. 51:14; Mat. 26:70-74; II Sam. 12:9, 13; Isa. 64:7, 9; II Sam. 11:27; Ef. 6:30; Sal. 51:8, 10, 12; Apoc. 2:4; Isa. 63:17; Mar. 6:52; Sal. 32:3-4; II Sam. 12:14; Sal. 89:31-32; I Cor. 11:32.

Em Mateus 26 temos um relato clássico do quando a vida cristã se torna um inferno: “Ora, estava Pedro assentado fora no pátio; e, aproximando-se uma criada, lhe disse: Também tu estavas com Jesus, o galileu. Ele, porém, o negou diante de todos, dizendo: Não sei o que dizes. E, saindo para o alpendre, foi ele visto por outra criada, a qual disse aos que ali estavam: Este também estava com Jesus, o Nazareno. E ele negou outra vez, com juramento: Não conheço tal homem. Logo depois, aproximando-se os que ali estavam, disseram a Pedro: Verdadeiramente, és também um deles, porque o teu modo de falar o denuncia. Então, começou ele a praguejar e a jurar: Não conheço esse homem! E imediatamente cantou o galo. Então, Pedro se lembrou da palavra que Jesus lhe dissera: Antes que o galo cante, tu me negarás três vezes. E, saindo dali, chorou amargamente”. Mt 26.69-75. Se você se encontra num perigoso estado de pecado, medite no exemplo de Pedro. O apóstolo transformou a sua vida num inferno, seu comportamento transformou-se numa pedra de tropeço para aqueles que testemunharam seu pecado, e certamente seus irmãos na fé estiveram muito tristes com a sua conduta. Cuidado com a negligência dos meios de preservação. Busque o SENHOR em humilde oração.
Que Deus nos vivifique e aumente em todos nós o senso do dever.

Nenhum comentário:

Postar um comentário