sexta-feira, 9 de março de 2012

COSTUME NÃO É DOUTRINA

Costume não é doutrina

Em nossos dias, é muito comum observarmos vários costumes dentro de algumas igrejas evangélicas, tais como:

• Mulher não pode usar saia.
• Mulher não pode cortar o cabelo.
• Mulher não pode usar cosmético.
• Mulher não pode se depilar.
• Crente não pode ir à praia.
• Crente não pode jogar futebol.

Todos estes costumes são tratados como doutrinas; no entanto, vale salientar que:

• Costume é algo humano e que muda com o tempo. Por exemplo: antigamente, o homem usava chapéu como parte de sua vestimenta; hoje isso não é mais praticado em nosso país. Observe que costume é algo que varia com o tempo.

• Doutrina é algo bíblico e não muda com o tempo. Por exemplo: matar era pecado no Antigo Testamento e continua sendo pecado em nossos dias. Observe que doutrina é algo que não muda com o passar do tempo; é algo imutável.

Então, todos os costumes citados acima (e tantos outros que existem por aí) não são e nunca serão doutrinas. O que muitas igrejas chamam erroneamente de “cultos de doutrina”, são na verdade, “cultos de costumes”.

Eu já ouvi as seguintes justificativas (que não justificam nada) dos defensores destes costumes:

• Igreja que não tem “doutrina” (na verdade, não é doutrina, e sim, costume) é uma igreja de porta larga, que pode tudo. Irmãos amados, o fato de alguém não seguir os costumes citados acima, NÃO significa que este alguém esteja desviado e também não significa que ele (a) esteja freqüentando uma igreja do tipo “porta larga”. O comportamento e a conduta cristã não têm NADA A VER com os costumes citados anteriormente. Na realidade, as igrejas que adotam estes e tantos outros costumes, deveriam ler mais a Bíblia e parar com toda esta baboseira que nada tem a ver com as Escrituras. O que acontece nestas igrejas que dizem não ser de “porta larga” é o seguinte: os líderes destas igrejas DETURPAM as Escrituras e tentam justificar todos estes costumes citados acima, como se estes costumes fossem bíblicos. Pelo que me consta, deturpar as Escrituras é pecado e isso sim, deveria ser observado pelos defensores de costumes humanos. Para os defensores de costumes, eu digo o seguinte:

 E assim por causa da vossa tradição INVALIDASTES a Palavra de Deus (Mateus 15:6).

 Não julgueis pela aparência, mas julgai segundo o RETO JUÍZO. (João 7:24).

• A Igreja precisa dos costumes para manter a identidade denominacional. Esta é outra justificativa que eu já ouvi por parte dos defensores de costumes. Pelo que me consta, a identidade do cristão é o AMOR e não o fato de alguém usar ou não uma calça comprida, por exemplo. O cristão não tem de se preocupar em parecer com a sua denominação, e sim, se parecer com Cristo, no que se refere ao testemunho pessoal. Infelizmente, tem muita igreja ensinando suas ovelhas a se preocuparem mais com os costumes do que com a Palavra de Deus. Eu só tenho uma coisa para dizer a estes irmãos metidos a santos: vocês precisam ler mais as Escrituras e também precisam amadurecer mais espiritualmente. A meu ver, quem defende costume é superficial e é alguém infantil espiritualmente; ou seja, estas pessoas precisam olhar mais para o próprio umbigo e necessitam crescer mais no conhecimento da Palavra de Deus.

Eu gostaria de terminar este texto dizendo o seguinte: costume não é mandamento bíblico que precisa ser seguido e o que importa realmente na vida do cristão é o seu caráter e o seu testemunho diante do Senhor. Há pessoas que se preocupam com os costumes da igreja a que pertencem; eu prefiro me preocupar com o meu testemunho diante de Deus… a meu ver, é só isso que importa. Espero que tenham gostado deste texto e até o próximo estudo.

Por Bereshit

5 comentários:

  1. Legal. Ainda Bem Que as Ass. Deus Missão estão compreendo essa verdade. e estão colocando os pingos nos is.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Digo: compreendendo, e não compreendo.

    ResponderExcluir
  3. Ainda há uma resistencia muito grande dentro das Assembleias de Deus quanto a entender que essas tradições não são Bíblicas e devem cair em desuso no sec XXI...

    ResponderExcluir