segunda-feira, 25 de junho de 2012

Nicolaus von Zinzendorf


Nicolas Ludwig Zinzendorf nasceu em 1700 na cidade de Dresden, Alemanha. Filho de nobres saxônios, esteve, desde cedo, sob os cuidados de sua avó materna, mulher piedosa que sempre recebia em sua casa irmãos piedosos, como Spener e Franke. Dos dez aos dezesseis anos estudou em Halle, recebendo a influência pessoal de Franke quanto à consagração ao Senhor numa vida santa e também voltada ao espírito missionário. Estudou Direito na Universidade de Wittenberg, centro do luteranismo ortodoxo (1716 a 1719). Tentou, sem sucesso, conciliar os estudos nas universidades de Halle e Wittenberg. Em viagens pela Europa, Zinzendorf fez contato com a teologia da Reforma, com grupos não vinculados à igreja tradicional e com católicos romanos. Foi funcionário público do governo na Saxônia.

Mais tarde usou seu patrimônio para comprar terras em Berthelsdorf, onde ofereceu refúgio para cristãos perseguidos provenientes da Moravia (os irmãos moravianos). O líder destes irmãos era Christian David. Zinzendorff acabou fundando uma comunidade cristã chamada Herrnhut (“O Abrigo do Senhor”), a qual ele estabeleceu em suas terras e da qual era o líder espiritual. Outros grupos cristãos uniram-se a eles, entre os quais a ênfase era de uma busca do Senhor com todo o coração, com uma fé profundamente espiritual e de experiência, e um evangelismo de âmbito não apenas local, mas mundial e com relacionamentos de unidade com outros grupos.

Dali enviaram seus primeiros missionários para o Caribe, Groenlândia, América do Norte e outras regiões do planeta. Forçado a exilar-se por causa da perseguição religiosa, ele estabeleceu outras comunidades na Alemanha, na Inglaterra e nos Estados Unidos, onde procurou unir os grupos evangélicos, mas fracassou. Em seus últimos anos provou grande tragédia pessoal, com a morte do filho e da esposa, e ainda com dificuldades financeiras. Zinzendorf era apaixonado por Jesus e o que mais o comovia era o fato de Jesus ter sofrido tanto e morrido também só por ele, pelos seus pecados. O grande lema de sua vida era: “Tenho uma única paixão: Jesus, Ele e somente Ele”. Escreveu nada menos que 2.000 hinos, alguns dos quais cantados pelos cristãos até hoje. Zinzendorf morreu aos 60 anos de idade, tendo sido um dos homens que mais buscaram ardentemente a comunhão com o Senhor e a unidade do povo de Deus na terra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário