terça-feira, 7 de agosto de 2012

1 Pedro: Introdução e Pano de Fundo



1 Pedro: Introdução e Pano de Fundo

por
Gordon Lyons

Anteriormente um pescador, agora um pescador de homens, Simão Pedro (ou Cephas ) foi chamado para seguir o Senhor Jesus enquanto trabalhava em suas atividades diárias. O irmão de Pedro, André, também tinha sido chamado para seguir a Jesus (Mateus 4:18-20). O nome ‘Pedro' significa ‘uma rocha', isto é, um fragmento de rocha ou uma pedra grande. Pedro seria instrumental na proclamação do evangelho e no pastoreio da igreja de Deus após a ressurreição e ascensão do Senhor. Para este fim, o Senhor o preparou e equipou.
O Senhor Jesus construiria sua igreja sobre o fundamento dos profetas e dos apóstolos; isto é, sobre a pregação e o ensino dos apóstolos e profetas (Efésios 2:20). A igreja está fundada no ensino do Senhor Jesus (a Rocha, o Cabeça e a Pedra de Esquina) e sobre o ensino dos profetas e apóstolos, como inspirados pelo Espírito Santo (Salmos 118:22; Mateus 21:42; Atos 4:11; 1 Pedro 2:6). A igreja está fundada sobre Cristo — não sobre algum apóstolo como uma pessoa individual, ou sobre algum grupo de apóstolos (1 Coríntios 3:11).
Simão Pedro foi casado (cf. Marcos 1:30; Lucas 4:38), e aparentemente a esposa de Pedro o acompanhou nas ocasiões em que ele servia a igreja (1 Coríntios 9:5).
Pedro era um indivíduo um tanto impetuoso, e originalmente instável em algumas de suas ações e crenças. No início de sua experiência cristã, esse discípulo não teve fé suficiente para andar até o seu Mestre sobre a água (Mateus 14:30). Todavia, esse mesmo discípulo cria sem reservas e confessou abertamente que Jesus era o Cristo, o Filho do Deus vivo (Mateus 16:16; João 6:69).
Em resposta a essa confissão de fé, Jesus assegurou a Pedro que construiria a sua igreja sobre a rocha. Ao mesmo tempo, o Senhor transmitiu a Pedro as ‘chaves do reino'; isto é, o direito e poder para pregar e ensinar autoritativamente em nome do próprio Senhor Jesus, como inspirado pelo Espírito Santo de Deus (Mateus 16:18-19; cf. Isaías 22:22). Contudo, esse foi um direito, poder e autoridade dada não somente a Pedro, mas também a todos os apóstolos do Senhor, incluindo Paulo (João 20:21-23; cf. Mateus 18:18, que trata mais geralmente dos líderes da igreja [1]).
Pedro agiu como um porta-voz dos doze. Contudo, o mesmo homem que jurou não desonrar seu Senhor e Mestre, negou qualquer conhecimento dele quando Jesus foi preso. Três vezes Pedro negou que conhecia a Cristo (Marcos 14:68-72) Mas o Senhor conhecia a fraqueza de Pedro. Ele sabia que ele não poderia permanecer firme em sua fé sem a força do Senhor e do seu Espírito Santo. Todavia, o Senhor tinha plaenejado uma tarefa específica para Pedro, e o preparou para aquela tarefa, perdoando-o carinhosamente e restaurando-o à comunhão com ele. ‘Tu me amas...?', Jesus perguntou a Pedro três vezes. ‘Então apascenta os meus cordeiros... Apascenta as minhas ovelhas... Apascenta as minhas ovelhas', repetiu o Senhor Jesus a Pedro (João 21:15-17).
Pedro foi apontado como um co-pastor do rebanho do Senhor, o verdadeiro Pastor — ou seja, da sua igreja. Em breve, na chegada da Festa de Pentecostes, Pedro seria equipado para essa tarefa pelo derramamento do Espírito Santo, recebendo dons e habilidades para formas específicas de serviço na igreja. Pelo mesmo derramar do Espírito Santo em Pentecostes, os outros apóstolos também foram equipados para as suas respectivas tarefas.
Pedro foi equipado para ser um pastor (isto é, guia, guarda e alimentador) do rebanho de Deus, especialmente em sua capacidade como o apóstolo aos judeus, mas não excluindo um ministério mais geral às igrejas gentílicas. Pedro serviu nessa capacidade na igreja em Jerusalém, juntamente com Tiago, o irmão do Senhor, e João. Pedro foi reconhecido como um dos principais líderes ou ‘colunas' da igreja de Jerusalém (Gálatas 2:9). Contudo, em nenhum momento foi entendido que Pedro exercia um papel dominante ou um ofício superior sobre os outros líderes da igreja, ou sobre a igreja em geral. De acordo com suas próprias cartas, ele era um servo e apóstolo do Senhor Jesus Cristo (2 Pedro 1:1) e um presbítero, como todos os outros presbíteros, na igreja de Deus (1 Pedro 5:1). De fato, por suas observações em 1 Pedro 5:1-4, Pedro deixa abundantemente claro que não há lugar na igreja de Deus para níveis ou ofícios entre o povo de Deus, mas somente para servos, ministros e co-pastores do rebanho do Pastor. Isso está de acordo com o ensino do próprio Senhor Jesus sobre esse mesmo assunto (Lucas 22:24-27; veja também Mateus. 20:25-28; 23:8-12)
Em sua primeira epístola, Pedro, o apóstolo aos judeus, se dirigiu aos cristãos espalhados, provavelmente entre o povo judeu e gentílico. Esses crentes estavam localizados em lugares como Ponto, Galácia, Capadócia, Ásia e Bitínia; províncias dentro da antiga Ásia Menor (hoje Turquia). Os crentes nessas localizações tinham suportado muita perseguição por causa de sua fé, e o apóstolo está escrevendo para encorajá-los, para fortalecê-los em sua fé no Senhor Jesus, para aconselhá-los no viver piedoso, para exortá-los a perseverar, e para confortá-los no meio de suas provas.
Pedro finalizou com uma exortação específica para que eles ficassem firmes na fé — uma palavra com relevância especial de alguém que conhecia o que era falhar com o Senhor Jesus, e encontrar perdão da sua parte (1 Pedro 5:12).

NOTAS:
[1] — ‘Ligar e desligar' refere-se a proibir ou permitir certos cursos de ação, etc., de acordo com o ensino da Palavra de Deus. Os líderes da congregação, sob requerimento de Deus, deviam explicar, a partir do ensino dos profetas e dos apóstolos, e a partir das Sagradas Escrituras, o que era permitido e o que era proibido para os crentes. Anteriormente, essa responsabilidade estava com os rabinos; subsequentemente, com os apóstolos, e agora com os líderes da igreja, apontados por Deus, tais como pastores e presbíteros.


Nenhum comentário:

Postar um comentário